Os primórdios do Marketing de Conteúdo

Olhando para trás, podemos encontrar grandes exemplos de Marketing de Conteúdo, o que até hoje pode ser didático, inspirador e levar à uma estratégia digital mais efetiva. Alguns exemplos disso são os livros de receita gratuitos da gelatina Jell-O em 1904 ou os quadrinhos do GI Joe e as revistas LEGO nos anos 80 e 90. Entretanto, o termo “Marketing de Conteúdo” só foi cunhado quando a Internet atingiu a sua consolidação.

 

Content Marketing Beginnings

Em 2007, a Companhia Bledtec subiu o seu primeiro vídeo de YouTube, obtendo mais de 6 milhões de likes e um aumento de 700% em suas receitas. Um ano mais tarde, a P&G lançou o site BeingGirl.com, que foi considerado uma maneira quatro vezes mais efetiva do que qualquer outro esforço de Marketing tradicional.

Por quê? Porque o Marketing de Conteúdo oferece informação real e útil ao invés de ser intrusivo.

 

 

No ano de 2010, 90% das empresas percebiam a importância do Marketing de Conteúdo e implementavam alguma estratégia desse tipo, com 25% de seus orçamentos destinados para Marketing de Conteúdo.  Entretanto, muitos caíram na armadilha de gerar conteúdo por nada.

Como há muito conteúdo na Internet, empresas com acesso às melhores práticas de SEO da época estavam utilizando muitas dessas táticas além de táticas de posicionamento Black Hat. Isto levou os consumidores à exaustão, com sites inúteis ao invés de sites com conteúdo realmente relevante.

O que não está mais funcionando?

Cinco anos atrás, as melhores práticas de conteúdo eram muito diferentes das que são consideradas as melhores práticas hoje em dia:

Se você ainda está escrevendo e publicando conteúdo simplesmente porque você sabe que deveria fazer isso, por favor pare! Marketing de Conteúdo não é mais uma equação ou fórmula com a qual as empresas podem publicar um número perfeito de artigos com um número exato de links e palavras-chave para aparecer primeiro nos resultados do Google. Cada vez que você postar conteúdo, se pergunte, “Quem eu vou ajudar com esse tipo de conteúdo?”  Esse é o real poder dessa prática.

Se você ainda está deixando backlinks em tudo quanto é lugar na web, mais uma vez, pare! A JCPenney, uma marca de roupas, ficou famosa no mundo do marketing digital pela criação e compra de links para cada uma de suas palavras-chave, links que em sua maioria, não tinham a menor relação com a loja. O Google rapidamente puniu essa mega-marca em 2011 e alertou outras sobre esse tipo de tática SEO.  Então seja cuidadoso:  O Google quer marcas que escrevam para pessoas e não para mecanismos de pesquisa.  Quando seu conteúdo é útil, os backlinks virão naturalmente sem que você precise procurar por eles.

Se você ainda está publicando somente conteúdos relacionados aos seus produtos e serviços, pare. A verdade nua e crua é que ninguém liga para a sua marca.  As pessoas querem respostas para suas perguntas e soluções para os seus problemas.

Por mais que seus produtos sejam muito bons, ninguém procura no Google “Power Plate 3650”, mas elas procuram “Como eu troco o pneu?”. Você percebe a diferença? Seu conteúdo precisa estar relacionado com as necessidades do seu público alvo.

Os desafios do Marketing de Conteúdo moderno

Essas mudanças no Marketing criaram alguns obstáculos no mundo do Marketing Digital que são difíceis de esclarecer, contudo, baseado na trajetória do Marketing de Conteúdo, nós preparamos estas sugestões para empresas que podem gerar leads.

  1. Equilíbrio

O maior desafio do Content Marketing é obter um equilíbrio adequado entre qualidade e quantidade. O que você deve procurar é criar conteúdo suficiente para que seu público continue visitando o seu site e redes sociais, garantindo, ao mesmo tempo, que cada uma dessas peças de conteúdo – seja um blog post, vídeo ou infógrafo – seja de alta qualidade e, acima de tudo, útil.  Para ser considerado valioso, o conteúdo deve ser coerente, relevante e útil para o seu público.

  1. Compartilhar

Quando o conteúdo é compartilhado na rede social, a relevância e qualidade do conteúdo é discutido.  Os mecanismos de pesquisa começam a fazer buscas em redes para julgar o conteúdo e sua utilidade para consumidores. Isso significa que você deve fazer o seu conteúdo digno de ser compartilhado nas redes sociais. Lembre-se que você pode não focar unicamente em sua marca ou produto, mas em contar uma história que inclua o cliente e o torne protagonista. Esse é sem dúvida o tipo de Marketing de Conteúdo que você precisa.

  1. Customize

A ideia de conteúdo personalizado significa que ele pode ser acessado de qualquer dispositivo e também se adapta ao estágio do ciclo em que está o seu cliente potencial. Este é o futuro do Marketing de Conteúdo e não vai ser uma tarefa fácil.

Qual o futuro do Marketing de conteúdo?

As marcas não estão usando tanto Marketing de Conteúdo quanto há cinco anos, mas elas tem muito mais confiança em seus esforços.  De acordo com o “Referências do Marketing de Conteúdo B2B de 2017, Orçamentos e Tendências” por volta de 93% dos anunciantes estão usando Marketing de Conteúdo em suas estratégias. Além disso, 42% dos anunciantes B2B são considerados efetivos em Marketing de Conteúdo, 36% a mais do que no último ano.

Em 2017, o Marketing de Conteúdo se tornava uma forma padrão de Marketing, com crescimento inigualável.  Isto significa que os vendedores vão ter que aprender a se sobressair no meio de uma multidão de conteúdos. Para isso, nós vamos te dar algumas dicas para a sua “Estratégia de Marketing de Conteúdo em 2017”:

  1. Escreva como você fala

Graças à última atualização do algoritmo do Google, o conteúdo da sua empresa deve ser apresentado muito mais num tom de conversa. Por quê? No passado o Google focava nas palavras da pesquisa que eram consideradas importantes. Agora, ele foca na pesquisa inteira para garantir que o consumidor irá encontrar a informação certa. Isso significa que o conteúdo se encaixa na pesquisa. Além disso, o Google agora reconhece sinônimos, o que significa não ter que repetir a sua palavra exata repetidas vezes (bloggers estão muito felizes com isso).

  1. Adote a autoria do seu conteúdo

Conforme o Google luta para conseguir o melhor resultado possível para as pesquisas do usuário, ele colocou muita ênfase em determinar a autoridade do autor do conteúdo. Quando um autor é uma pessoa de carne e osso com uma reputação real, o Google vê isso como uma coisa boa e então classifica aquele conteúdo como real e genuíno (em comparação com o conteúdo de fazendas de links ou spammers). Por mais que a aplicação de autoria seja desconfortável no começo, fazer a sua equipe publicar no seu nome vai ajudar os seus funcionários e especialmente a sua marca.

  1. Socialize nas Redes

O Google quer que o seu conteúdo seja útil, ele acredita que o conteúdo compartilhado nas redes sociais é um bom indicador do valor deste conteúdo. Se for de boa qualidade, as pessoas vão compartilhar, certo? Não hesite em começar a compartilhar o seu conteúdo em redes sociais Google+, Facebook, Twitter e etc.

  1. Foco no Alvo

Como eu mencionei anteriormente, não há fórmula secreta para Marketing de Conteúdo. Entretanto, o que você não pode perder de vista é que o seu conteúdo deve sempre focar no seu público.

Desde de a sua última atualização, o Google tem como objetivo prover respostas precisas, Steve Rayson (colunista do Social Media Today) insiste em dizer: “Os anunciantes têm que entender quais perguntas os seus clientes estão fazendo e portanto criar conteúdo valioso que gera interesse no seu site, Google Plus e comunidades relevantes.” Lembre, o seu conteúdo é geralmente a sua primeira oportunidade de causar um impacto nos seus consumidores.

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.