Engana-se quem pensa que o LinkedIn é apenas mais um site com vagas de emprego. A rede profissional tornou-se uma das maiores plataformas de conteúdo do mundo. No Brasil, são 25 milhões de pessoas conectadas (dados de 2016) e dois novos usuários a cada segundo. A ferramenta rapidamente se tornou uma incrível geradora de novos negócios e, com a compra da empresa pela Microsoft, seu futuro é ainda mais promissor.

O valor para a maioria dos usuários do LinkedIn está na construção de uma marca pessoal, seja para conseguir um novo emprego ou gerar novas oportunidades de negócios, mas, a rede vai muito além disso: o LinkedIn se tornou uma plataforma poderosa para o marketing de conteúdo.

A Dell, recentemente, fez algo bastante interessante neste sentido. Eles incentivaram seus funcionários a escreverem artigos no LinkedIn. Porém, não lhes disseram sobre o que escrever, apenas sugeriram que escrevessem sobre temas que acreditavam que funcionariam em uma rede profissional.

Vários funcionários criaram seus textos. Um gerente de nível médio da Dell, que havia perdido seu pai recentemente, decidiu escrever um post sobre o que havia aprendido sobre negócios com ele. O que esse gerente não contava é que a publicação viralizasse no LinkedIn. O engajamento foi tão alto que, por muito tempo, seu perfil foi o segundo mais acessado entre os funcionários da empresa em todo o mundo. O mais acessado era o de um tal de Michael Dell…

Mas, por onde começar? Quais recursos do LinkedIn devo explorar em minha estratégia de marketing de conteúdo?

No último ano fui eleito pelo próprio LinkedIn como o terceiro brasileiro que mais se destacou na rede profissional. Foram exatos 100 artigos e muita interação na rede até que isso ocorresse.

Baseado em minhas experiências neste período, compartilho 4 dicas simples que me fizeram alcançar este posto e alavancaram minha carreira e meus negócios. Vou te ajudar a fortalecer sua reputação e ampliar sua rede com insights sobre o que escrever, quando escrever e como aproveitar ao máximo suas publicações no LinkedIn.

1 – Crie uma rotina

Essa dica segue o mesmo princípio dos blog posts. Você precisa definir um calendário editorial. Ao compartilhar conteúdo, o objetivo é identificar uma frequência que permita que você seja lembrado sem sobrecarregar o público.

Para ajudá-lo a alcançar esse equilíbrio, aqui está minha rotina semanal de publicações no LinkedIn:

A audiência do LinkedIn é composta, principalmente, pelo público B2B. Isso quer dizer que as maiores taxas de interação ocorrem em dias de semana e durante o horário de trabalho. Eu costumo fazer minhas publicações entre 8h e 10h da manhã.

 2 – Compartilhe insights sobre o seu setor

Vários profissionais que já enxergaram o LinkedIn como uma ferramenta de marketing de conteúdo tem investido na criação de artigos. Porém, as atualizações de status, semelhantes ao feed de notícias do Facebook, também tem um alto poder de engajamento e são essenciais para uma estratégia bem sucedida na rede.

Milhões de executivos, empreendedores e funcionários de todos os tipos estão presentes no LinkedIn. A rede é um lugar onde profissionais de todo o mundo interagem.

Empregue um tom descontraído, mas foque o diálogo na esfera profissional. Deixe os memes para o Facebook.

Rodrigo Brancatelli, Editor Senior do LinkedIn em Nova York, enfatiza que devemos escrever sempre algo que:

  • Eduque: Inspire e desafie sobre as tendências no seu setor ou sobre a economia como um todo.
  • Contextualize: Aconselhe e traga novidades que possam ajudar outras pessoas a conseguir um novo emprego, uma promoção ou uma marca profissional mais forte.

3 – Escreva aquilo que você sabe ou que vivenciou

A maneira mais eficiente de atingir um grande número de pessoas no LinkedIn é através da criação de artigos.

 

 

Isso só é possível através de perfis pessoais, por isso o foco do texto e da minha estratégia de marketing de conteúdo no LinkedIn não está nas Company Pages.

Um ponto interessante aqui é que o conteúdo não precisa ser, necessariamente, original. Eu reaproveito os mesmos artigos que publico em meu bloge, de quebra, me “autocredito” ao final das publicações, gerando tráfego para meu próprio blog.

Mas, sobre o que escrever?

Antes de partir para a prática, você precisa entender como funciona a ferramenta de publicações do LinkedIn.

Desde que adquiriu o agregador de notícias Pulse, em 2013, o LinkedIn conta com editoriais específicos, numa curadoria feita pelos editores da plataforma. Os melhores artigos de cada tema são escolhidos e ganham destaque nestes canais, fazendo com que o alcance dos textos seja gigantesco.

Os canais mais relevantes são:

  • Notícias e Opinião: + 1 milhão inscritos.
  • Marketing e Publicidade: + 800 mil inscritos.
  • Carreiras: + 800 mil inscritos.
  • Inovação e Empreendedorismo: + 800 mil inscritos.

 

 

 

Artigo escrito por mim que foi destacado em três canais editoriais e viralizou.

Compartilhe experiências

O LinkedIn é uma rede social bastante peculiar. Os usuários são bastante ativos e não estão lá para seguirem marcas: eles seguem pessoas. Portanto, é comum que artigos que contem situações em que você teve superar algum desafio em sua profissão tenham um maior engajamento.

Ao invés de escrever um texto extremamente técnico, utilize exemplos de como aquela técnica, ferramenta, produto ou serviço te ajudou a solucionar determinado problema. Afinal, um dos princíos do marketing de conteúdo é, justamente, educar.

Para lhe ajudar quanto ao conteúdo, escrevi um artigo com a dica dos meus colegas Top Voices do LinkedIn para você escrever artigos de sucesso por lá.

4 – Sempre inclua uma call to action ao final dos artigos

O editor de textos do LinkedIn não possui recursos que permitam a instalação de plugins ou mesmo a inserção de códigos HTML. Então suas call to actions precisam ser feitas no braço!

No meu caso, utilizo uma sequência de três CTAs!

  • Conteúdo relacionado.

 

 

 

 

 

 

  • Biografia do autor.

 

 

 

 

  • Newsletter – em 1 ano coletei 11 mil e-mails com essa estratégia.

 

 

 

 

Você não precisa – e nem deve – copiar exatamente a minha sequência de CTAs. Apenas lembre-se sempre de relacionar o conteúdo do seu texto aos links que você quer que os leitores abram. Textos com viés publicitário não funcionam no LinkedIn, então tome cuidado para não perder a mão.

Ficou com vontade de começar a escrever no LinkedIn?

Não pense que com dez artigos publicados utilizando essas simples estratégias você terá, logo de cara, ótimos resultados. Assim como qualquer outra estratégia de marketing de conteúdo, você precisará de consistência.

Lembre-se que o LinkedIn é uma rede focada no networking. Portanto, esteja sempre presente. Interaja com seus leitores, responda todos os comentários e, claro, siga os passos acima.

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.