Sou uma profissional da Comunidade Contentools e, neste post, vou abrir para você como funciona o meu fluxo de produção de conteúdo e método de redação. Isso mesmo: aqui você vai encontrar tudo sobre como compreender a demanda, pesquisar, escrever e otimizar conteúdo.

Assim, você vai aprender a transformar seu conhecimento em artigos fantásticos! Além disso, conhecendo “os bastidores” do trabalho do redator, você vai entender onde está investindo o seu dinheiro sempre que contrata um profissional desse tipo para seu time de conteúdo. Vem ver!

Passo 1: Compreenda a demanda  

O primeiro de todos os passos é entender a demanda. Você já deve imaginar o motivo de esse primeiro passo ser tão fundamental, não é? Afinal, como seria possível escrever um conteúdo certeiro sem entender o objetivo dele, o público-alvo e tudo mais? Impossível!

É por isso que ao receber uma demanda, seu primeiro passo deve ser analisar todas as informações disponíveis. As essenciais, que precisam estar no Briefing, são:

A partir desses dados, você vai conseguir ter uma ideia muito mais clara em relação ao embasamento teórico que você precisa fazer, o tipo de conclusão à qual você deve chegar ao fim do conteúdo – e até mesmo o tipo de expressões que você poderá usar durante o todo o texto!

E se eu não tiver uma demanda de fora? Por onde começo?

Caso você seja um time de uma pessoa só, talvez você mesmo precise descrever essas informações. Então, antes de qualquer coisa, monte sua estratégia de marketing de conteúdo e um briefing para você mesmo. Parece estranho ter que desenvolver essa estrutura sendo que é você mesmo que vai redigir, não é? Mas entenda que talvez hoje você tenha tido uma ótima ideia de criação de conteúdo e até comece a escrever logo em seguida. Ótimo!

Mas e amanhã, quando você tiver que retomar esse conteúdo, você vai se lembrar do objetivo dele? Da persona para quem você estava escrevendo e do tom de voz que você pretendia utilizar? Caso você não estruture um briefing para você mesmo, a probabilidade de você simplesmente abandonar um artigo pela metade por não lembrar mais do objetivo dele é enorme! E se você sempre parar pela metade, nunca terá um conteúdo completo. Então, descreva um briefing e uma estratégia mesmo que seja só para o seu controle pessoal!

Veja o passo a passo de como montar sua estratégia aqui: Estratégia de Marketing de Conteúdo: tudo que você precisa para montar a sua!

Passo 2: Pesquise e se inspire

Para reunir elementos que o ajudem a organizar a ideia central do texto de forma a atender às expectativas do leitor e, ao mesmo tempo, atingir os objetivos do cliente, é legal dedicar um pouco de tempo para pesquisar antes de começar a redigir. Aqui estão alguns dados que você pode buscar e analisar a partir do briefing:

  • Palavras-chave ao redor do assunto e suas variações;
  • Posts sobre tópicos correlatos do próprio blog;
  • Notícias e tendências sobre a questão;
  • Referências oficiais sobre o tema;
  • Interesse do público pela temática;
  • Produção da concorrência;
  • Opiniões de especialistas.

Agora, vem cá, vou te contar nosso segredo: é claro que os redatores profissionais possuem cartas na manga para conseguir fazer isso! Inclusive, usamos várias ferramentas digitais GRATUITAS, sabia? Aqui estão algumas das que eu mais uso e você pode usar também:

Use planejadores de palavras-chave

Estas são as ferramentas que servem para avaliar a competitividade e o nível de dificuldade de ranqueamento de palavras-chave:

O objetivo aqui é encontrar variações das palavras-chave que sejam de grande procura e baixa oferta. Se você conseguir encontrar essas ‘jóias’, faça questão de usá-las de forma estratégica durante seu texto! Isso irá fazer com que ele fique mais bem colocado nos resultados orgânicos de busca no Google – e, por consequência, seja mais acessado e gere melhores resultados!

Faça busca em locais de notícias e tendências

Para entender o panorama sobre o tema que você deve desenvolver, você pode pesquisar sobre ele abertamenta na internet! Meu macete, neste caso, é ir diretamente aos locais que possuem alto tráfego e as mais novas atualizações sobre os mais diversos assuntos. Assim, consigo encontrar os fatos mais recentes sobre o assunto e até mesmo descobrir as tendências de pesquisa dos usuários! Algumas das ferramentas que você pode utilizar para isso são:

Para dar mais relevância ao conteúdo, eu costumo considerar informações recentes, datadas com menos de um ano. Sempre que possível, também evito fontes que caracterizem muito o conteúdo como noticioso. Afinal, o ideal é produzir um conteúdo perene, o famoso conteúdo evergreen.

Minha dica para você é que vá além das pesquisas padrão no Google. ‘Fuce’ bastante nas abas imagens e vídeos, que são outros recursos interessantes de inspiração. Faça buscas em Português e Inglês, utilizando o modo Janela Anônima do navegador, e também pesquise diretamente na barra de busca do Youtube!

Visite outros sites oficiais

Sites de concorrentes

Para saber o que a concorrência está produzindo sobre o tema, não tem muito jeito. Leia os blogs dos concorrentes e também dê uma olhadinha nas suas redes sociais. Com isso, a intenção não é copiar conteúdo, mas fazer exatamente o oposto: encontrar oportunidades para escrever conteúdo de qualidade sobre o qual a concorrência não está trabalhando bem.

Outros sites relacionados ao mercado

Para consultar informações oficiais sobre a temática e o mercado de atuação do cliente, procuro por estatísticas em órgãos oficiais, em sites.org e .gov, em Associações de Classe e em sites sobre o assunto que tenham grande autoridade de domínio (DA).

Site próprio

Para redigir um texto que se articule com o que já foi produzido, mas sem ser repetitivo, é importante analisar o o conteúdo do seu blog e dos seus canais nas mídias sociais. Você pode fazer isso usando recursos como a Biblioteca de Conteúdo da Contentools, por exemplo.

Passo 3: Roteiro

Com base na pesquisa realizada,  já sei exatamente a melhor maneira de atender à pauta, seguindo o briefing.

No entanto, é prudente criar um roteiro, como um mapa mental, um esboço da estrutura do texto, incluindo todos os pontos relevantes, para não me esquecer de nenhum aspecto que possa deixar o conteúdo “incompleto”.

Nesse “esqueleto” eu costumo ordenar a redação de forma lógica, elencando e aprofundando os temas conforme sua relação, hierarquia etc.

Neste post, por exemplo, meu roteiro foi:

  1. Introdução: importância da redação no contexto de marketing de conteúdo;
  2. Bastidores: validação de informações e processo criativo de redação a partir de técnica, experiência e método;
  3. Detalhamento do método de trabalho: pesquisa e inspiração, roteiro, redação, ilustração, formatação e revisão;
  4. Explicação das fases de redação: escrita, scaneabilidade, link building, usabilidade e SEO;
  5. Dicas de redação: co-redação e fundo de funil;
  6. Segredos da redatora: hábitos e hacks;
  7. Conclusão e assinatura.

Eu gosto de usar o Google Docs para fazer os roteiros dos meus textos, mas também é possível utilizar mapas mentais gratuitos e online, como o Coggle.

Passo 4: Redação

Ufa! Finalmente, é chegada a hora de “pôr a mão na massa”. Lembre-se de que este é o momento de realmente ser transparente e trazer o tema fazendo uma correlação com o estilo da empresa.

“Para fazer as conexões acontecerem, temos que permitir sermos vistos, verdadeiramente vistos”. Brené Brown

Não tenha medo de trazer fatos reais, números e realmente expor o seu conhecimento!

Estilo da escrita

Embora eu apoie a minha redação em vários processos e técnicas, vale lembrar que ao escrever artigo na web, meu estilo textual estará sempre presente, mesmo que eu faça a adaptação de linguagem necessária para o tom de voz da marca e características da persona.

Reunindo os insights obtidos na pesquisa, eu começo a redigir, considerando algumas boas práticas de webwriting que cuidam de aspectos, como:

Escaneabilidade

  • Subtítulos com mesma estrutura: tempo verbal e classe de palavras;
  • Regra de leitura em F, do maior para o menor;
  • Tamanho de parágrafos: até quatro linhas.

Link Building

  • Qualidade de link building: relevância sem conflito de interesses;
  • Existência de links para outros sites;
  • Presença de links internos.

Usabilidade

  • Tamanho de imagens: carregamento rápido com qualidade visual;
  • CTA claro para guiar corretamente o leitor para o próximo passo;
  • Hierarquia de informações: intertítulos e subintertítulos;
  • Espaçamento adequado entre linhas e parágrafos;
  • Alinhamento do texto à esquerda;
  • Uso de marcadores.

SEO

  • Definição de atributos de imagem, como ALT TEXT, tag e nome do arquivo;
  • Configuração de abertura de links em nova janela;
  • Densidade da palavra-chave: entre 0,5 e 2,5%;

Estrutura e gramática

Algumas “regras” úteis para escrever um artigo espetacular na internet, que eu sigo:

  • Usar a norma culta como referência ortográfica e gramatical, incluindo regras de escrita de numerais por extenso, estrangeirismos e uso de capitulares;
  • Aplicar o método APP, que estrutura a redação para Agree (concordar), Promise (prometer) e Preview (prever);
  • Cuidar da coesão e coerência do texto, evitando vícios de linguagem.

Outros recursos que me ajudam a escrever textos mais ricos e interessantes e que acredito que podem ajudar você:

Passo 5: Ilustração

Os recursos visuais são poderosos para a efetividade de um conteúdo, pois o cérebro processa o conteúdo visual 60 mil vezes mais rápido do que o texto.

Por isso, quando viável, eu insiro infográficos e vídeos nos textos. No entanto, é mais comum usar imagens. Dê prioridade para fotos de boa qualidade, que sejam atrativas, fugindo do “lugar comum”, e que sejam livres de direitos autorais (Royalty Free), inclusive para uso comercial.

Estes são os bancos de imagens que eu costumo usar e que você pode usar sem custo também:

Passo 6: Formatação

Com o conteúdo praticamente pronto e ilustrado, é hora de cuidar da formatação. Nessa fase, você deve adequar os últimos detalhes, como tamanho de fonte, uso de negrito, itálico, espaçamento e alinhamento do texto.

A formatação também é essencial para a escaneabilidade do texto. Então, neste momento você pode revisar seus subtítulos (H2, H3, H4) para confirmar que tudo faz sentido de acordo com a hierarquia da informação que você quer passar.

Passo 7: Revisão

Para finalizar o trabalho, eu faço a revisão do conteúdo, com apoio de Corretor Automático, Dicionário Eletrônico e Conversor para o Acordo Ortográfico.

Depois da revisão mecânica, sugiro que você leia o texto novamente, com bastante atenção. Sempre que possível, peça para outra pessoa também ler o conteúdo. Além disso, busque reler o material no dia seguinte, antes de enviar para o cliente. Esses “truques” vão ajudar você a identificar detalhes que podem ser melhorados.

Seguindo todas essas etapas, o texto estará pronto para ser publicado!

Bônus: Dicas extras de redação

Como co-escrever um artigo incrível

O seu conhecimento na solução, produto ou serviço que a sua empresa oferece são valiosos para a produção de conteúdo.

Primeiramente, porque a partir dele o conteúdo ganha personalidade e fica muito mais interessante.  Depois, porque ao usar o seu conhecimento do negócio para atrair, nutrir e qualificar leads você descobre insights poderosos para as estratégias da empresa.

Então, que tal co-escrever um artigo incrível articulando a expertise que você tem no seu negócio e o know-how de um profissional de conteúdo no raciocínio de um texto?

Afinal, o conhecimento sobre o seu negócio é o que irá determinar o sucesso do seu Marketing de Conteúdo.

Como escrever um artigo profundo de fundo de funil

O conteúdo para fundo de funil é o mais apropriado para aproveitar todo o potencial que existe dentro da sua empresa para transformar conhecimento em conteúdo.

Digo isso, porque quando a persona chega ao fundo do funil de vendas, ela já está avaliando adquirir um produto ou contratar um serviço, para resolver o problema dela.

Isso quer dizer que ela já considera possíveis fornecedores e essa é a hora de você “ganhar a concorrência”.

Nesse momento crucial da jornada de compra, o seu conhecimento específico no processo comercial e no sucesso do seu cliente serão fundamentais para a produção de conteúdos que convertam.

Formatos de conteúdo

Estes são alguns formatos de conteúdo recomendados para fundo de funil, nos quais você pode arrasar:

  • Depoimentos de clientes ou usuários;
  • Cases de sucesso e relatórios de ROI;
  • Demonstrativos e tutoriais;
  • Free Trials e simuladores;
  • Vídeos de produto;
  • Página de produto;
  • E-mail marketing.

Como escrever o conteúdo

Para desenvolver um tipo de conteúdo que esclareça dúvidas ou que resolva inseguranças que possam vir a  “travar” a conversão de um lead em cliente, é preciso envolver os times de vendas e marketing no processo de produção de conteúdo.

Com a ajuda da área comercial será possível identificar os motivos de perda, as dores e as incertezas que as oportunidades apresentam no momento da negociação, gerando ideias e construindo o pitch da produção de conteúdo.

Com o apoio do time de marketing, as informações coletadas periodicamente serão utilizadas para refinar o planejamento de pautas e ajustar os briefings, orientando uma produção de conteúdo mais assertiva.

Assim, com embasamento técnico, comercial e estratégico, será possível você escrever um artigo profundo de fundo de funil, gerando mais resultados para o seu negócio.

Segredos da redatora

Sim, há vários detalhes envolvidos na produção de conteúdo, mas método e prática fazem com que, ao longo do tempo, o processo se torne natural. Aqui estão algumas dicas pessoais que funcionam para mim e podem funcionar para você também!

Foco e produtividade

Cada um tem o “seu jeito”. Eu, por exemplo, apesar de escrever profissionalmente há mais de uma década, preciso de silêncio para me concentrar na redação e utilizo alguns hacks de organização pessoal e produtividade, como o Asana e o aplicativo Pomodoro Timer.

A importância do conteúdo

O olhar do consumidor sobre a qualidade dos produtos ou serviços que a sua empresa oferece, assim como o entendimento do seu posicionamento de preços, por exemplo, são diretamente influenciados pelo conteúdo que você disponibiliza online. Essa influência pode ser positiva ou negativa. Ou seja, a visão do seu cliente sobre você pode ser influenciada negativamente por falha no conteúdo ou na sua estratégia. Isso implica em dois fatores:

  • Investir em Inbound Marketing, sem cuidar da estratégia de Marketing de Conteúdo é desperdiçar dinheiro;
  • Produzir conteúdo sem qualidade pode ser um verdadeiro “tiro no pé”.

Como diz a jornalista Emília Chagas, CEO da Contentools: “Hoje, não existe marketing digital sem a produção de conteúdo”.

Processo criativo de redação

A famosa frase atribuída a Thomas Edison, “A genialidade é 1% de inspiração e 99% de transpiração”, é a mais pura tradução do processo criativo de redação. Ou seja, dedique-se e você perceberá que cada vez mais conseguirá atingir ótimos objetivos com menos transpiração.

Estabelecendo processos de trabalho, eu ganho agilidade para desempenhar as atividades de pesquisa, análise e elaboração. Assim, fica cada vez mais fácil escrever textos melhores. Resumindo, o segredo é método e prática.

Técnica e experiência

Habilidade, dom ou talento são facilitadores, sem dúvida, mas contar só com eles é muita ingenuidade. Concentração é essencial. Se o humor estiver bom, ótimo. Conhecimento do mercado e da solução também são cruciais. O processo de produção de conteúdo é a chave para conseguir escrever bem, extraindo todo o repertório do redator, concatenando conhecimento técnico, com experiência profissional e pessoal. O resto é crença.

Agora é a sua vez

Gostou desse artigo sobre produção de conteúdo, com dicas para você escrever artigos sensacionais em pouco tempo? Para aprender mais sobre produção de conteúdo, ou até entender os riscos da terceirização do Marketing de Conteúdo, leia outros artigos no blog da Contentools. Quer alguma dica específica ou está com alguma dúvida ainda? Fique à vontade para contar sobre sua experiência nos comentários! Escreveu seu conteúdo? Então chegou a hora de fazer uma boa distribuição dele! Receba gratuitamente o Checklist de Distribuição Ideal para fazer seu conteúdo chegar até quem interessa!

Andréia Glück é Publicitária, Especialista em Marketing. Tem certificação nacional em Marketing de Conteúdo Avançado e Produção de Conteúdo Web e é Certificada HubSpot em Inbound Methodology. Atua como Content Manager certificada pela Contentools e Redatora profissional na Comunidade Contentools.

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.