Você sabia que as técnicas de psicologia, e também o neuromarketing, podem ser utilizadas para atrair clientes dentro da produção de conteúdo? Até as dicas de paquera passaram a ser utilizadas no mundo do marketing, na maneira como as marcas interagem com o seu público potencial online.

Quando pensamos sobre a psicologia do consumidor online, sabemos que não há uma fórmula mágica que possa ser seguida para reconhecer o padrão de interesse e as características dos novos visitantes do seu site, para mantê-los interessados em seus produtos ou serviços – por isso falamos em paquera. A analogia do namoro também pode ajudar, ou seja, o neuromarketing pode atuar dentro da sua estratégia de Inbound Marketing. Algumas regras para “cortejar” seus visitantes:

Como o neuromarketing pode atuar dentro do inbound marketing

 1. A primeira impressão é a que fica

A primeira impressão é fundamental e, muitas vezes, decisiva, na hora de construir a imagem da sua marca dentro da cabeça dos novos visitantes. Para isso, é preciso utilizar as palavras certas e passar uma boa primeira impressão, pois é ela que fica.

O que queremos dizer é que com a estratégia de Inbound Marketing não é diferente. Assim como na paquera, a primeira impressão do site é que faz o usuário tomar a decisão de ficar ou não. No mundo digital, essa primeira impressão é ainda mais importante, pois não é possível “fazer as pazes” se algo der errado. São questão de segundos para um visitante decidir que não gostou do seu site e encontrar um outro lugar para se relacionar.

Mas, então, como passar uma boa primeira impressão? A resposta é simples: suas landing pages precisam estar em ordem, mostrando de forma transparente o que o visitante irá encontrar em seu site. Além disso, seu site precisa responder a uma questão crucial: a pergunta que o usuário digitou para chegar até você. Se a página da web não responder essa questão e for muito poluída, por exemplo, o usuário vai decidir que não tem nada de bom ali para ele e, então, vai embora.

2. Qual a sua motivação?

Esse é o momento que o indivíduo decide se quer fidelizar ou passar por só mais uma experiências. E quem está envolvido sempre quer saber qual é a motivação do outro. O mesmo ocorre quando estamos falando sobre marcas. Você precisa compreender o seu público – lembra da primeira impressão? Aqui é importante o conhecimento da audiência para causar uma boa primeira imagem. Ao conhecê-la, você consegue preencher seu site com informações que realmente vão interessá-la.

3. Não seja egocêntrico: nem tudo é sobre você!

Já falamos algumas vezes que no Inbound Marketing não adianta postar apenas conteúdo institucional ou comercial. É como ir a um encontro em que a outra pessoa só fica falando de si mesma. Quem estiver com ela, não só vai ficar entediado, como vai passar a desconfiar da mesma. Será que a história é verdadeira ou ela está contando vantagem para impressionar?

As marcas passam pela mesma situação. Não é possível adotar um discurso em que se fala apenas de si mesmo o tempo todo, ou como seus produtos e serviços são espetaculares. Em verdade, pesquisas demonstram que quanto mais a marca fala só sobre seu produto e o elogia, mais o público fica propenso a confiar na mensagem. Contudo, você precisa cuidar da maneira como irá passar essa mensagem, não oferecendo apenas um discurso comercial, mas algo útil e relevante para sua audiência.

4. O que você deve dizer no “primeiro encontro”?

Ninguém quer entregar o ouro de cara, não é mesmo? Por isso, utilize seus canais para mostrar um pouco, mas não exagere. Destaque as partes realmente importantes, mas seja modesto em outras questões. Deixe que seus visitantes descubram mais sobre você com o passar do tempo. Deixe-os curiosos para clicar, não entregue tudo! Utilize o neuromarketing para causar emoções e criar gatilhos que os façam querer saber mais sobre sua marca.

5. Você deve tratar bem os amigos dos seus visitantes

Num relacionamento, é agradável que mantenha uma boa impressão com as pessoas ao redor. No Inbound Marketing não é muito diferente. Quando se trata da paquera, se você não dá atenção aos amigos do seu namorado, ele começa a ficar incomodado e, mais cedo ou mais tarde, alguém vai se queixar. Poucas marcas percebem a importância dos amigos, pois são eles em quem seus visitantes mais confiam. Por consequência, os amigos do seu visitante confiam nele. Sendo assim, os amigos são tão importantes quanto a pessoa para quem você está tentando vender. Mas, como conquistá-los? É o que veremos no próximo item.

6. Como conquistar os amigos dos seus visitantes?

Conforme mencionamos, não fale de si mesma, por mais que você deseje vender os produtos de sua marca. Não fique centrada em vender, tenha o foco em fazê-los felizes para que eles falem de você de uma forma positiva. Para isso, tente descobrir o que os motiva, o que os fazem felizes e, então, com essas informações, é possível fazer com que eles se sintam confortáveis e logo estarão vendendo seus produtos para você, como evangelistas da marca.

Como o neuromarketing pode atuar no Marketing de Conteúdo

Até agora descrevemos como o neuromarketing pode atuar dentro do Inbound Marketing, mas sabemos que o conteúdo é 90% da estratégia de Inbound. Por isso, abordaremos agora como utilizar o neuromarketing para melhorar sua estratégia de marketing de conteúdo.

Quando pensamos em maneiras de melhorar e aperfeiçoar a nossa estratégia de marketing de conteúdo, provavelmente não pensamos no campo da neurociência. Entretanto, apesar de ser uma disciplina acadêmica, ela oferece muitos insights sobre como comercializar um produto ou serviço – oferece tantas ideias que, de fato, se tornou um campo próprio. É o que chamamos de neuromarketing, ou seja, como tirar proveito da riqueza de informações recolhidas para medir as flutuações elétricas do cérebro e conduzir um engajamento positivo com mensagens de marketing para os seus visitantes e potenciais clientes.

Obviamente, as empresas não irão contratar um neurocientista para analisar a eficácia de suas estratégias de marketing de conteúdo. Entretanto, se você parar para pensar, há diversos tipos de feedback, informações e conselhos que podemos tirar de pesquisas de neuromarketing já existentes. Essas pesquisas podem ajudar a montar planos de marketing de conteúdo mais direcionados e orientados a resultados. Com base nelas, vamos elencar as três maneiras mais importantes de utilizar os insights do campo do neuromarketing para melhorar e aperfeiçoar uma estratégia de marketing de conteúdo:

  1. Utilize as emoções para acordar o cérebro: Pesquisas mostram que nosso cérebro trabalha em alta velocidade quando somos estimulados por emoções poderosas e intensas. Se uma emoção visceral que sentimos é uma experiência positiva, então nosso cérebro nos acorda para que possamos desfrutar dos aspectos indutores de prazer da experiência. Entretanto, se a emoção visceral que sentimos é negativa, nosso cérebro também nos acorda. Mas, neste caso, para tramar ativamente uma maneira de nos proteger e nos isolar dessa experiência negativa. Assim, o conteúdo que desencadeia emoções fortes (positivas ou negativas) desempenha um papel fundamental na ativação de nossos cérebros, o que, por sua vez, nos torna mais propensos a absorver e reter o conteúdo que está na nossa frente.
  2. Apele para os instintos egoístas do cérebro: O nosso cérebro também pode reagir de maneira egoísta. Na verdade, esse foi um instinto de sobrevivência que nos manteve vivos e nos ajudou a nos sentirmos bem com nós mesmos. Neste sentido, as peças de marketing de conteúdo que acariciam o ego dos leitores e fazem com que eles se sintam valiosos e em paz com sua própria condição emocional, física e mental, estão mais propensas a serem bem recebidas.
  3. Alimente o desejo de familiaridade do cérebro: De fato, a razão pela qual a marca é tão poderosa no mundo do marketing é por causa do desejo do nosso cérebro de obter consistência e conforto nas interações que tem com o mundo e com as pessoas ao seu redor. Neste sentido, quando reconhecemos padrões e tendências que nos são familiares, nosso cérebro responde produzindo a dopamina neuroquímica, que é indutiva do prazer. No mundo do marketing de conteúdo, esses padrões familiares incluem as fontes, imagens, gráficos e escolhas de cores que podemos utilizar na produção de conteúdo e assim induzir os leitores ao prazer.

Como tornar seu conteúdo reconhecível em qualquer lugar em que aparece

Na onda do neuromarketing e do sentido de familiaridade, é fundamental que você torne seu conteúdo reconhecível em qualquer lugar em que aparece. Para isso, há algumas ações que podem ser tomadas, como:

  1. Use a cor que remete às emoções que você quer que seus leitores sintam quando interagirem com seu site;
  2. Use fontes que ajudem seus leitores a se concentrarem na mensagem ao invés do design;
  3. Faça o layout de seu conteúdo de maneira que os scanners possam facilmente entendê-lo sem ter que lê-lo por completo;
  4. Sugira ações com imagens;
  5. Mostre que você está confiante, e seus leitores estarão confiantes em seu conteúdo e produtos;
  6. Publique conteúdo positivo para ganhar leitores positivos;
  7. Ajude seus leitores a entender facilmente o que eles não sabem;
  8. Escreva headlines que inspiram a ação.

Este post foi útil para você? Já tinha pensado em utilizar dicas de paquera no seu marketing de conteúdo? Esperamos que você utilize a Plataforma da Contentools, para que em 2017 você tenha um ótimo gerenciamento e consiga pôr em prática todas as nossas dicas de neuromarketing! Quer saber mais? Entre em contato com um de nossos especialistas!

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.