Redes sociais, blogs, sites de notícia, e-mails e mensagens pessoais são apenas alguns geradores do enorme fluxo de informação que rodeia o nosso dia a dia. Sendo assim, é essencial conhecer técnicas para destacar-se dentre essa multidão de dados virtuais, como a estratégia de SEO. Mas como usar o SEO de maneira adequada, a fim de chamar a atenção e conquistar o público por tempo suficiente para transmitir sua mensagem? É por isso que preparamos uma checklist com os pontos mais importantes!

A importância do recurso SEO

Antes de mais nada, para que o leitor se interesse pelo que você tem a dizer, ele precisa encontrá-lo — e, digo mais, a busca tem que ser rápida. É isso que a estratégia de SEO (do inglês Search Engine Optimization) faz: otimiza seu conteúdo para os mecanismos de pesquisa. Com a aplicação das técnicas de SEO, as ferramentas virtuais conseguem achar o seu conteúdo facilmente e exibi-lo para o leitor. Por isso, é fundamental verificar alguns itens para garantir que seu trabalho estará na onda de informações que o leitor irá seguir:

1. Escaneabilidade: o seu texto causa uma paixão à primeira lida?

De nada adianta ser encontrado rapidamente se o leitor descartar o seu conteúdo assim que o acessar. Por isso, o primeiro passo para seduzir o internauta está na escaneabilidade. Esse termo diferente, nada mais é do que a famosa “passada de olho”, aquela habilidade que temos de fazer uma leitura rápida, rastreando o texto em busca da ideia geral e decidindo, naquele momento, se ele é digno do seu precioso tempo — afinal, na velocidade que o mundo de hoje corre, tempo é um privilégio!

2810693-0853900898-thumb

Sendo assim, tome cuidado com o tamanho do seu texto, pois conteúdos muito longos desestimulam o leitor. Um post de um blog pode ter entre 1000 e 3000 palavras, por exemplo, começando com um breve resumo do tema, seguido do seu desenvolvimento separado por tópicos com subtítulos (utilize as heading tags em ordem de hierarquia, H2, H3 e assim por diante). Além disso, prefira criar frases mais enxutas, gerando parágrafos concisos e claros. E não deixe de utilizar diferentes recursos, como negritos, itálicos, sublinhados, listas, imagens e vídeos, auxiliando o engajamento com o seu público.

Caso seja necessário aprofundar-se mais sobre um tema, escolha produzir um tipo de material que não surpreenda o leitor pelo tamanho, como um eBook.

2. Palavras-chave: você está usando os termos certos?

A escolha da palavra-chave é um momento crucial, pois é a partir dela que o conteúdo será produzido e, com base nela, os sistemas de busca (e os leitores) encontrarão o seu site. Coloque-se no lugar do seu público alvo e imagine quais os termos que ele utilizaria em uma pesquisa. Depois, procure a sua palavra-chave e verifique a sua popularidade. É possível utilizar ferramentas para ajudar na análise do volume de buscas, como o Keyword Planner do Google AdWords, e das tendências de pesquisa, como o Google Trends.

Screen-Shot-2012-05-04-at-3.31.34-PM

Você também pode utilizar sinônimos, variações e palavras-chave complementares para evitar repetições. Mas lembre-se de utilizar a palavra-chave principal no título da página e algumas vezes durante o texto, principalmente nas primeiras linhas e nos parágrafos iniciais. Mas tome cuidado para não pecar pelo excesso, pois o seu site pode ser penalizado pelos mecanismos de busca — a densidade da palavra-chave no texto deve ficar entre 0,8 e 1,5% e pode ser verificada por ferramentas específicas, como o Yoast.

3. Títulos: as suas heading tags estão ajudando a dar a ideia geral do conteúdo?

Heading tags (H1, H2, H3) são os recursos utilizados para destacar títulos e subtítulos, variando de tamanho conforme o seu número: H1 é o título principal e, consequentemente, o que ganha mais ênfase na página. O título principal deve resumir a ideia do conteúdo e conter a palavra-chave preferencialmente no seu início. Além disso, vale conferir o número de caracteres do seu Header 1, limitando-se preferencialmente a usar até 69 caracteres.

As heading tags de subtítulos também devem ser marcantes, chamando a atenção do leitor e ajudando na escaneabilidade do texto. É legal também utilizar algumas palavras-chave complementares.

4. URL e meta tags: você está otimizando o seu endereço e a descrição da sua página?

A URL é o endereço da sua página e, por isso, é importante criá-lo de forma a facilitar sua localização pelos sistemas de pesquisa. Procure usar URLs amigáveis e curtas, isso ajuda no compartilhamento e na memorização pelo leitor. Além disso, procure utilizar a sua palavra-chave e separar as palavras da URL por hífen, que é melhor aceito pelo Google do que underline (_) e o mais (+). Em algumas plataformas, o próprio site sugere um slug (a parte final da URL) quando você está criando uma página, nesse caso, vale a pena remover as stop words (palavras de ligação e não relevantes), deixando apenas a palavra-chave essencial e outras essenciais para o entendimento do conteúdo. Por exemplo, uma página cujo título é “Como otimizar o seu site” pode ter a URL: www.minhapagina.com/blog/otimizar-seu-site.

Outro ponto que merece atenção é a meta description, que é a descrição exibida nos resultados de uma busca, logo abaixo do título. Esse texto não influencia o posicionamento da sua página nos mecanismos de busca, mas é essencial redigir uma descrição clara e atraente e, novamente, vale a pena repetir a palavra-chave, pois isso pode enfatizar o tema da pesquisa do leitor e levá-lo a abrir a sua página. É importante estar atento ao limite de caracteres — que, nesse caso, é de aproximadamente 156 — e procurar passar a ideia geral do conteúdo nos primeiros 50.

Temos ainda o meta-title, que diferentemente do título, não é exibido na página, mas faz parte das informações que são usadas pelos buscadores. Você pode copiar e colar o título e, se houver espaço, adicione o nome do seu site (o limite aqui é o mesmo do título, 69 caracteres) para destacar a sua marca!

5. Links internos e externos: você está fazendo referência a outras páginas?

Link building é a técnica de conectar o seu conteúdo a outros existentes na rede, de forma a tornar a sua página mais relevante e confiável. Links de páginas populares relacionadas ao seu tema além de serem ótimas referências para o seu texto também irão ajudar na otimização do conteúdo. E, claro, o inverso também é valido: se você oferece um conteúdo de qualidade, outras páginas poderão conectar-se à sua, o que também irá impulsionar o aumento do seu fluxo de acessos.

Faça parceiros de conteúdo!

power rangers

*Dica importante: se você deseja adicionar um link, mas não está certo sobre a reputação e autoridade do site de referência, pode utilizar o recurso rel=”nofollow”, que instrui os buscadores a não seguirem o link indicado.

Apesar das referências externas serem muito importantes para o SEO, não se deve subestimar a relevância dos links internos. Esses vínculos redirecionam o leitor para assuntos do mesmo domínio, ou seja, ajuda o seu público a conhecer mais o seu site, tornando a navegação fluida e positiva. Além disso, essa prática aumenta o PageRank do seu site!

6. Conteúdo duplicado: você verificou se há páginas idênticas à sua?

Os mecanismos de busca procuram sempre exibir resultados relevantes e diversificados para ajudar o internauta a achar o que deseja. Por isso, se há conteúdo duplicado entre sites ou dentro de um mesmo site, ele será penalizado. Muitas vezes, a duplicação passa despercebida pelo criador, como páginas de impressão e visualização, que são idênticas e podem ser consideradas pelo sistema de pesquisa como conteúdo duplicado. Sendo assim, é essencial utilizar ferramentas para identificar possíveis duplicações e consertá-las.

aed5245ab4e715ba89f0f33bd2d98ff3e0f80159a60404b99ea9d11f6deb5f3e

É claro que, além disso, um site de autoridade não deve copiar o conteúdo de outras fontes, então faça sempre um bom trabalho de pesquisa e estudo, produzindo material exclusivo para os seus leitores.

7. Site responsivo: a sua página é compatível com diferentes dispositivos?

Um fator que está ganhando cada vez mais importância no rankeamento de páginas é a sua compatibilidade com dispositivos móveis. Devido ao número crescente de usuários realizando buscas por meio de seus smartphones e tablets, uma das técnicas de SEO a ser seguida é a criação de sites responsivos, que oferecem uma experiência de qualidade em diferentes plataformas. Sendo assim, procure apresentar um design amigável e intuitivo, uma URL otimizada (mantendo o mesmo conjunto de endereços nos diversos dispositivos) e uma velocidade rápida.

8. Imagens: você ilustrou o seu conteúdo com figuras de qualidade?

Muitas vezes negligenciadas, as imagens são um recurso de extrema importância para capturar o olhar do leitor. E, assim como o texto, elas também devem ser otimizadas. Nomeie os arquivos com a palavra-chave principal e, se necessário, adicione termos para identificá-las. Opte por utilizar imagens claras, relevantes e de boa qualidade.

choose-good-pistures-for-content

As técnicas de SEO são diversas e extensas, por isso esteja sempre atualizado! Mas lembre-se, seguir métodos para ter um bom posicionamento nas pesquisas é importante, mas conquistar o leitor é ainda mais crucial, pois isso resulta em fidelização, interação e divulgação do seu site.

Gostou das dicas? Não deixe de acompanhar o blog da Contentools e saber mais sobre produção de conteúdos de qualidade!

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.