Já imaginou como seria seu trabalho de redator se pedidos de revisão fossem raros, se vários clientes solicitassem seu trabalho e você fosse reconhecido como redator especialista na sua área? Às vezes, por mais que esteja produzindo com frequência e receba feedbacks de editores e clientes, pode ser difícil saber como melhorar suas produções. Se você se preocupa em aperfeiçoar seu trabalho e desenvolver seu portfólio, veja algumas práticas que prejudicam a qualidade de seus conteúdos e descubra como escrever textos cada vez mais otimizados!

1 – Não revisar antes de enviar

Um dos piores hábitos de um redator é não revisar um conteúdo antes de enviar para aprovação. Ok, a revisão também é trabalho do editor e a gente sabe que é essencial que uma outra pessoa analise o texto para garantir que nenhum erro passe. Mas é a revisão feita pelo próprio redator que vai fazer com que um conteúdo deixe de ser apenas bom e passe a ser excelente. Por isso, depois que terminar de escrever o texto, faça uma pausa, espere algumas horas e só então faça os últimos ajustes antes de enviar para o editor.

2 – Não pesquisar além das referências

Bons redatores sempre buscam formas de rechear seus textos como informações que vão além daquelas fornecidas pelos clientes. Aliás, com tanto conteúdo disponível online, basta uma busca rápida no Google para encontrar mais informações que podem fortalecer seus argumentos e trazer um novo ponto de vista ao assunto. Mas tome cuidado: é preciso saber reconhecer fontes confiáveis e filtrar a precisão das informações!

3 – Não colocar link nos dados

De nada adianta inserir pesquisas, dados e citações no texto sem incluir as fontes dessas informações. Por mais relevante que os dados sejam, sem os links que levam à origem do conteúdo eles perdem peso e diminuem a credibilidade do seu texto. Inserir links é a forma que você tem de provar que fez sua pesquisa, que leu sobre o assunto e que as informações que você traz não são baseadas em “achismos”, mas em fontes relevantes e de procedência reconhecida.

4 – Ligar o piloto automático

Quem produz conteúdo com frequência ou em grande quantidade dificilmente percebe quando liga o piloto automático. No entanto, é desse processo que surgem as repetições e a mesmice que fazem com que a criatividade passe longe e que todos os conteúdos tenham sempre o mesmo formato. Para saber se você está no piloto automático analise suas produções em busca padrões textuais.

Você usa sempre o mesmo modelo de call to action? Inicia o texto sempre com a mesma estratégia? Percebe que a mesma expressão aparece muitas vezes nos seus conteúdos? Se sim, é provável que você precisa pensar em novas formas de trazer originalidade para os seus textos. Um bom jeito de fazer isso é aumentando sua carga de leitura, consumindo mais conteúdos sobre produção escrita e buscando formas de aumentar sua criatividade.

5 – Ignorar a formatação

Claro que o foco do seu trabalho como redator é produzir conteúdos relevantes, autênticos e atraentes para seus leitores. Mas isso não significa que você deve ignorar a forma como os textos serão entregues. É aí que entra a cereja do bolo do conteúdo: a formatação. Quando bem pensada, a formatação aumenta a noção de valor do seu texto e faz com que ele pareça mais atraente para o leitor.

Se você não acredita, faça o teste: compare um conteúdo cheio de espaços em branco entre parágrafos e palavras, com grandes blocos de texto sem quebra, sem enumeração nas listas, sem itálico em palavras estrangeiras e com traços no lugar de bullet points com um conteúdo que utiliza estes padrões. Qual deles é mais visualmente atraente para você?

6 – Escolher palavras fracas

Um vocabulário rico e variado é uma das maiores riquezas de um redator. As palavras que você usa diferenciam um conteúdo simples de um conteúdo simplista e ajudam a deixar seus textos mais objetivos e inteligíveis. Portanto, reflita sobre a escolha das palavras enquanto escreve ou revisa um conteúdo. Algumas podem ser simplesmente dispensadas e outras substituídas por termos de maior impacto.

Exemplo: “Vamos tentar lançar novos produtos até o fim do ano.” > “Lançaremos novos produtos até o fim do ano”

“A estratégia foi realmente pensada pelo cliente” > “O cliente elaborou a estratégia”

7 – Usar muitos jargões

Ainda que o conteúdo seja sobre um assunto específico e pouco comum ao público geral, é interessante evitar o uso de jargões que não soam naturais para um público leigo que está começando a pesquisar sobre o tema. A não ser que explique o termo, procure usar palavras mais conhecidas que vão ajudar o leitor a compreender o texto.

Exemplo: “A taxa de churn de clientes diminuiu em maio” > “A taxa de cancelamento de clientes diminuiu em maio”.

O que achou da lista? Acha que ficou faltando algum tópico? Deixe um comentário com a sua opinião!

Se você gostou desse artigo, veja também 4 dicas para a estrutura do post perfeito e Como melhorar o processo criativo dos seus conteúdos.

Redator Freelancer

Luisa Wink - Writer experience

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.