Há algumas semanas lançamos em nosso blog um caso de sucesso incrível de uma de nossas Content Managers, a Débora Ninin. No artigo, Débora relata como chegou aos seus primeiros R$ 1000,00 como freelancer da Contentools.

Se você leu a nossa postagem — e eu indico que o faça — verá que Débora manda bem na produção de conteúdo e também na própria edição de seu material. Ela também investe pesado em cursos e especializações sobre Inbound e Content Marketing.

Tudo isso é ótimo e necessário, mas, para que ela atingisse seu primeiro milestone como profissional frila, foi preciso muito mais. O que Débora mais precisou foi focar na gestão de sua carreira de freelancer.

Leia também: Como ganhar dinheiro como freelancer? Como faturei meus primeiros R$ 1000

Sem uma gestão completa — e leia-se aqui gestão de produtividade, tempo, networking, carteira de clientes, ferramentas, processos e até mesmo o cuidado com o sucesso do seu cliente — uma carreira promissora pode nem decolar.

Claro que, por mais que a CM já soubesse que sua nova atividade demandaria tempo, esforço e resiliência, todos os processos que ela desenvolveu para freelar e tirar uma boa receita disso derivaram de tentativas e erros. De receber briefings mal elaborados, prazos apertados ou jobs que pedem extrema dedicação e retornam em pouca remuneração. De entender que freela não se consegue somente com indicação, mas com prospecção e valorização de seu trabalho. Coisas que, talvez, se Débora pudesse voltar no tempo para aconselhar a si mesma, teriam facilitado sua vida.

Isso me fez pensar nos outros profissionais que atuam em nossa Comunidade. Se entrassem em um DeLorean e viajassem pelo tempo até os dias mais difíceis do começo de suas carreiras de freelas, o que diriam? Se saíssem da TARDIS e se encontrassem em total estado de desespero, frustração e ansiedade com a nova empreitada como autônomos, o que aconselhariam?

E não é que deu boa? Confira o que nossos redatores, editores e Content Managers responderam e que pode ajudar muitos novatos (e até vanguardistas) do Marketing de Conteúdo.

 

1 – Faça hoje o que você deve fazer hoje (e busque ajuda se necessário)


Seguinte, o que mais fiz no início da minha vida como freelancer foi procrastinar. Acredito que essa procrastinação me fez perder muitos jobs e horas de sono, até porque as contas chegavam e eu estava perdido, sem saber para onde correr…

 

Comigo aconteceu uma coisa muito específica. Eu tinha um amigo coaching e resolvi fazer um curso também. Essa formação me ajudou a enfrentar a procrastinação, pensar positivo e, principalmente, agir. Desde então estou conseguindo me virar e o final do mês não é mais aquele mesmo drama…

 

Willian Alves – Publicitário e Redator web

 

2 – Entre de cabeça

 

Para focar apenas na carreira como redatora freelancer. Ficava dividindo o meu tempo com o estudo para concursos e nunca conseguia trabalhar mais de um turno. Hoje me dedico integralmente, criei um blog para a ajudar a galera que quer começar nisso também e vem sendo bastante recompensador!

 

Calila Galvão – Fisioterapeuta, Redatora web e fundadora do blog Redatora em Casa

 

3 – Tenha em mente o valor do seu trabalho e da qualidade de sua entrega (e procure trabalhar com quem reconheça isso)

 

A dica que eu daria para o meu eu-freela do passado ou para quem está começando é ser organizado e prezar pela qualidade. Isso quer dizer não aceitar trabalhos com prazos menores do que o necessário ou pagamentos abaixo do valor praticado, pois isso é algo que compromete muito o resultado do trabalho e sua satisfação enquanto freelancer.

 

A organização vale para prazos e também para a área financeira. Eu não trabalho com clientes que furam os acertos comigo mais de duas vezes e prefiro trabalhar em parceria com empresas sérias, como a Contentools, o que garante minha segurança financeira também.

 

 

Débora Ninim – Content Manager Contentools

 

4 – Seja formalizado como MEI e mostre seus diferenciais

 

Se profissionalize o mais rápido possível. Para assumir projetos maiores, cedo ou tarde vai precisar se preocupar com certas burocracias, como obter um CNPJ, emitir Nota Fiscal e gerar boleto bancário. Além disso, crie um site simples no qual você expõe seu portfólio e seus diferenciais – isso mostra que você é um freelancer profissional e não apenas “mais um amador”.

 

 

Igor Scaldini – Growth Hacker, Consultor de Marketing, Content Manager Contentools 

 

Leia também: Redator freelancer e MEI – chegou a hora de se formalizar

 

5 – Mantenha-se focado nas atividades mais lucrativas

 

Na vida de freelancer é importante você conseguir maximizar o seu tempo focando nos clientes mais lucrativos. Para ganhar mais dinheiro sem precisar aumentar sua estrutura, você deve sempre estar atento a qual atividade você terá maior retorno investindo menos do seu tempo, já que tempo é o seu recurso mais escasso.

Você até pode “comprar mais tempo” contratando alguém para trabalhar para você, mas isso não significa maiores lucros. Você vai precisar pagar o salário dessa pessoa e gerenciá-la, além de manter um fluxo constante de trabalho para que ela não fique ociosa, então, o tiro pode sair pela culatra. Na hora de precificar seu trabalho, leve isso em consideração para não se flagrar fazendo um trabalho que não valha a pena financeiramente para você.

 

Douglas Spessatto – Consultor de Marketing e Gestor de Conteúdo

6 – Não queira abraçar o mundo

 

Hoje em dia, percebo que é infinitamente melhor – e mais gratificante – atender menos clientes doando 100% de minha dedicação, do que querer atender milhares deles, sempre na correria.

 

Eu diria para a Bigs que estava começando a escolher clientes – ou pautas – com os quais mais se identifique, assuntos dos quais tenha conhecimento, que goste e consuma frequentemente. Assim, a rotina de trabalho mais prazerosa, com resultados mais efetivos. Para cada tampa existe uma panela, você vai encontrar as suas!

 

Abigail Silva – Jornalista, Produtora Cultural e Content Manager Contentools

 

 

7 – Mostre para o cliente as razões de seus valores

 

O que eu diria para meu eu-freela do passado é pra conversar mais com os colegas e amigos que estão na área e buscar materiais de ajuda, assim como os que a Contentools oferece pros redatores. Além disso é botar o preço e mostrar pro cliente o porque tá cobrando isso. Sempre bem fundamentado e didático. Não fazer um preço muito abaixo só pra tentar ganhar o cliente… geralmente isso não dá certo… acostuma mal o cliente. Tem que cobrar o que é justo.

 

Guilherme Santos – Empreendedor, Publicitário e Escritor

 

8 – Centralize informações gerais e segmente as específicas

 

Eu passaria uma lista de dicas super práticas para a Clarissa do começo da carreira!

Por exemplo, ao lidar com muitos clientes diferentes, de perfis e funções distintos, é importante ter organização para não se esquecer de ninguém (nem confundir pessoas) durante as comunicações, envio de documentos e atribuição de tarefas. Por isso, elencaria algumas estratégias para facilitar e agilizar o trabalho, como: agrupar contatos – o Google Contacts permite que você crie uma etiqueta para um grupo, por exemplo, reunindo os contatos de redatores, editores e designers de um projeto, assim você não se esquece de ninguém na hora de enviar um aviso e basta escrever o nome da etiqueta no remetente do seu e-mail; e criar marcadores para sua caixa de entrada com o recurso Marcadores do Gmail.

Além disso, indicaria criar uma pasta no Google Drive para cada cliente, centralizando ali materiais, planilhas, relatórios, cronogramas etc., e compartilhando-os quando necessário.

Também é importante segmentar informações, a fim de otimizar as respostas e o tempo de cada profissional: se uma mensagem ou material diz respeito apenas aos redatores, por exemplo, evite incluir os designers ou o próprio cliente no envio ou compartilhamento, a menos que seja imprescindível – isso também evita sobrecargas.

 

Clarissa Gianni – Tradutora, redatora e gestora de conteúdo

9 – Sai pra lá, gatinho fofo!

 

Sem dúvida, um dos maiores desafios que enfrentei desde que me tornei uma redatora profissional foi aprender a fugir das distrações da internet. Por sorte, existem várias maneiras inteligentes de fazê-lo de forma bastante eficiente.

A minha maneira favorita de manter as distrações da internet sob controle é usar um plugin de navegador chamado  Momentum. Toda vez que eu abro uma nova guia (no Chrome), o Momentum exibe um painel pessoal que inclui uma foto cênica, uma citação inspiradora, uma prioridade diária (que eu configuro todas as manhãs) e uma lista de tarefas a serem feitas.

Toda vez que minha energia começa a ir por água abaixo, e eu começo a procurar um vídeo sobre um gato em um traje de tubarão andando atrás de um pato na cozinha de alguém, o Momentum me lembra o que eu deveria fazer e me ajuda a seguir em frente.

Patrícia Menezes – Redatora, DJ e Designer

10 – Entregue qualidade e receba qualidade

 

Entregar materiais de qualidade abre portas neste universo de produção de conteúdo. Por isso, meu principal conselho para quem está começando é tirar todas as suas dúvidas com o time envolvido e estabelecer prazos possíveis para que os textos estejam sempre bem estruturados e de acordo com o briefing.


Sem dúvida, editores e clientes saberão que você é um redator que entrega no prazo e que, acima de tudo, entrega qualidade. Com o tempo, surgirão clientes que pagam acima da média e você poderá montar uma boa cartela. Além disso, sua experiência vai te permitir escolher projetos por afinidade, tornando o trabalho mais prazeroso e menos burocrático.

Fanny Victória – Jornalista e redatora

11 – Disciplina é a chave para o sucesso

A palavra “disciplina” vem do latim e significa dizer “educação que um discípulo recebia de seu mestre”. No nosso caso, profissionais freelancers, precisamos ser discípulos de nós mesmos. Afinal, não tem relógio de ponto, não tem chefe cobrando, não tem colega de trabalho pra avisar que chegou a hora do almoço. É preciso prestar muita atenção em como administrar seu tempo e suas entregas para que o home-office seja saudável, lucrativo e, claro, prazeroso.

Portanto, daria duas dicas principais para a Regina que estava começando a vida de freela lá em 2014:

  • Com seu notebook e um sinal de Internet, você trabalha em qualquer lugar, certo? Certo. Mas nunca de pijama, ok? O cérebro registra que você está pronto pra dormir. E ai lá vem aquela preguiça, inimiga número 1 de qualquer tarefa solitária.

 

  • Cuidado para não se isolar demais. Reserve um tempo para aquele seminário legal, encontros com amigos e até uma visitinha para aquela tia que você não vê faz tempo. Só desta forma você se manterá atualizado. Ninguém produz bem se não estiver ligado com o que acontece no mundo à sua volta. E numa dessas, sempre aparece mais um cliente pra você!

 

Regina Belletato – Jornalista, redatora e gestora de conteúdo

 

12 – Conheça redatores mais experientes, a solidão é inimigo do bom redator

 

Quando comecei como redatora web, não existia praticamente nada. Inclusive, em meu emprego formal, a minha profissão era “redatora técnica”. Não existia a redação web e inclusive alguns colegas chegavam a rir de mim quando eu mencionava essa “modalidade inventada”. E quando eu falava em marketing digital, então… Nossa, parecia que eu estava falando sobre algum empreendimento pirâmide ou algo assim.

 

Isso fez com que aprendêssemos na marra muitas das coisas que hoje são ensinadas em sites especializados em redação ou cursos. Sabe qual o fator que deu o grande boom da redação web no Brasil: comunidade. Quando as pessoas começaram a compartilhar seu conhecimento de marketing digital, surgiram blogs, webinars, cursos etc.

 

Hoje participo de vários grupos de redação, converso com pessoas mais e menos experientes. Rola até mesmo uma revisão conjunta dos redatores mais velhos nos textos dos redatores novatos, com muitos feedbacks construtivos. Informações sobre remuneração, troca de jobs, materiais, podcasts… Às vezes o pessoal se reúne e faz um webinar para troca de ideias. E isso de forma orgânica, não é fantástico?

 

Então um conselho que eu dou para quem está começando é busque participar de comunidades ativas no Facebook, Linkedin e Whatsapp e faça amizade com outros redatores. É muito legal ver como um sempre ajuda o outro. Assim nos tornamos profissionais melhores, mais seguros e felizes. Competitividade prejudica e gera sofrimento. Colaboração gera oportunidade para todos e mais felicidade.

 

Kelly Zeferino – Redatora web e Gestora de con­teúdo

 

Agora eu quero saber de você, freela do presente ou do futuro. Qual é o seu maior aprendizado desde que resolveu investir neste modelo de vida? Quais métodos de trabalho usa, como controla sua produtividade e suas entregas? Como conquista cliente e os fideliza? Compartilhe conosco!

Espere! Não esqueça de assinar nossa newsletter

Acesse conteúdo premium sobre marketing de conteúdo:

Suas informações de contato nunca serão usadas para enviar qualquer tipo de SPAM.